faça sua pesquisa

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

A Contribuição de Humberto de Campos


“Há mais de um mês tive um sonho engraçado. Sonhei que uma pessoa me apresentou Humberto de Campos, num lugar de céu muito azul e brilhante e no chão havia uma espécie de vegetação que não me deixava ver a Terra. Não vi casa alguma. O que me impressionou mais é que as pessoas que eu via estavam sob uma árvore muito grande e tão branca que, quando o Sol batia nas suas frondes de folhas muito delgadas, parecia uma árvore de cristal. Ele veio então ao meu lado e me estendeu a mão com bondade, dizendo: - Você é o menino do PARNASO? Disse-me mais coisas das quais não posso me recordar. Que diz o amigo de tudo isto? Seria a minha imaginação? Não sei. Em todo caso, mando estas páginas para o senhor ler”. Assim começou como contado por Chico em carta a Manuel Quintão, a relação com Humberto de Campos que, por sinal, se estenderia por várias décadas, resultando na produção de quinze livros e dezenas de mensagens inseridas em obras de autores diversos. Acarretou ainda para o pobre rapaz de Pedro Leopoldo (MG), momentos difíceis e constrangedores em face do rumoroso processo judicial resumido na obra A PSICOGRAFIA PERANTE OS TRIBUNAIS, do jurista Miguel Timponi, movido pela viúva do famoso escritor, contista e cronista morto em dezembro de 1934, após insidiosa enfermidade denominada Acromegalia. Passaria, desde então, a assinar sua produção literária como IRMÃO X, detalhe que esconde particularidade interessante. Humberto até ficar doente, destacou-se nos meios jornalísticos com o pseudônimo CONSELHEIRO XX atrás do qual expunha as mazelas sociais da então capital da República, o Rio de Janeiro, que concentrava  costumes e comportamentos libertários inspirados nas mudanças observadas em Paris e outros grandes centros culturais. Burilado pelas dores   morais, desceu da condição de conselheiro para o irmão daqueles macerados pelo sofrimento, que como ele, transitam por esse planeta de expiação e provas.  Tendo iniciado sua tarefa com Chico Xavier no dia 27 de março de 1935 em carta/mensagem em que descreve suas primeiras impressões do Mundo Espiritual, desenvolve intensa atividade literária que lhe permitiria prefaciar o primeiro livro em 25 de junho de 1937, CRÔNICAS DE ALÉM-TÚMULO (feb), apesar de algumas delas terem sido inseridas em PALAVRAS DO INFINITO (lake), mescladas com fragmentos da série de reportagens produzidas pelo jornalista Clementino de Alencar para o jornal O GLOBO, interessado justamente em entender o fenômeno das primeiras crônicas póstumas de Humberto. Entre os trinta e cinco textos da primeira obra, alguns antológicos: a entrevista com o Espírito de Judas Iscariotes , em Jerusalem, esclarecendo a trágica decisão que precipitou a prisão e condenação de Jesus e revelando a expiação com que, em meio à traições, vendido e usurpado, resgatou a culpa do passado queimado na fogueira inquisitorial no século XV, como Joana D’Arc, a celebre médium de Orleans, que orientada pelos Espíritos  São Miguel Arcanjo e Santa Clara, conduziu os exércitos franceses na vitória sobre os ingleses preservando – segundo revelou Chico Xavier – as matrizes genéticas dos que viriam a renascer nos séculos vindouros para modificar o pensamento cultural da acelerada mudança prevista para o Planeta; outro descrevendo o despertar no Plano Espiritual do fisiologista Charles Richet, Nobel de Medicina, criador da Metapsíquica; noutro relata uma entrevista com Tiradentes, na mensagem escrita em 21 de abril de 1937, em que o mártir da Inconfidência afirma não ter sido um herói e sim um Espirito em prova; e, entre varias curiosas, uma referindo-se aos instantes finais de Bruno Richard Hauptmann, o carpinteiro do Bronx, transformado pela polícia norte-americana como responsável pelo  sequestro e morte do filho de Charles Lindenbergh, o primeiro homem a cruzar sozinho o Oceano Atlântico num avião. No livro seguinte, NOVAS MENSAGENS (feb,1938), surpreende com analises curiosas como a do Carnaval no Rio de Janeiro, a “morte” do Papa Pio XI; do grande General Erich Von Ludendorff, importante figura na Alemanha da Primeira Guerra ou com interessante mensagem onde descreve uma viagem feita em excursão ao Planeta Marte. No mesmo ano, psicografou  através de Chico, BRASIL,CORAÇÃO DO MUNDO PÁTRIA DO EVANGELHO, revelando os ascendentes e destinação espirituais de nosso país. No antepenúltimo livro organizado com seus trabalhos, ESTANTE DA VIDA (feb,1969), encontramos a descrição do encontro havido no cemitério Memoriam Park, em Los Angeles (EUA) com a renomada atriz do cinema americano Marilyn Monroe, desencarnada em 1962, do qual resultou interessante entrevista em que ela fala de si mesma, das circunstâncias que assinalaram sua morte e, concorda em falar sobre a emancipação feminina que estava em rota ascendente. A obra do Espírito Humberto de Campos ofereceria ainda aos estudiosos dos ascendentes espirituais dos dramas vivenciados em nossa Dimensão, páginas com a intitulada TALIDOMIDA – livro CONTOS DESTA E DOUTRA VIDA (feb,1964) -, onde faz uma correlação entre milhares de casos de renascidos com má formação congênita a partir dos anos 50, a droga desenvolvida e usada na formula de contraceptivos em desenvolvimento à época e ações perpetradas pelos próprios envolvidos durantes as barbaridades cometidas contra judeus nas áreas de confinamento em países invadidos pelos nazistas; ou ainda, as origens da TRAGÉDIA NO CIRCO, ocorrida na tarde de 17 de dezembro de 1961, na cidade de Niterói (RJ), em que morreram queimados ou pisoteados mais de trezentas pessoas, adultos e crianças, comprometidas com decisões e ações lamentáveis assumidas no ano de 177 D.C., na cidade de Lyon, na França, no livro CARTAS E CRÔNICAS (feb), em que, por sinal ele revela no capítulo KARDEC E NAPOLEÃO, detalhes de reunião havida no Plano Espiritual na passagem do século dezoito para dezenove em que o próprio Jesus apresentou à várias personalidades históricas presentes, inclusive alguns reencarnados como Napoleão desdobrado pela hipnose do sono físico, aquele em que se depositava a missão de viabilizar a base da TERCEIRA REVELAÇÃO, oculto posteriormente no pseudônimo Allan Kardec. Para quem se interessa por Jesus, precisa ser conhecido BOA NOVA (feb,1940) riquíssimo documentário sobre fatos envolvendo o Mestre dos Mestres. A contribuição de Humberto como se pode ver, não apenas confirma sua sobrevivência como oferece substanciais elementos para reflexões, além, é claro, de oferecer farto material para os apreciadores de uma boa leitura.

Nenhum comentário:

Postar um comentário