faça sua pesquisa

quarta-feira, 20 de novembro de 2019

OS DOIS VOLTAIRE; KARDEC - HOJE E SEMPRE 433; EVOLUÇÃO E LEI DE CAUSA E EFEITO: ENTENDA E CHICO VIVE


Filósofo iluminista, escritor e ensaísta francês, Francois Marie Arouet nasceu e viveu em Paris entre 1694 e 1778. Conhecido pela sua perspicácia e espirituosidade na defesa das liberdades civis, religiosa e livre comércio foi um dos autores do iluminismo cujas obras e ideias influenciaram tanto na Revolução Francesa quanto na Americana. Autor de 70 obras em variadas formas literárias é reconhecido como um polemista satírico tendo usado suas obras para criticar a Igreja Católica e as instituições francesas de seu tempo. No número de abril de 1862 da REVISTA ESPÍRITA, Allan Kardec inclui uma comunicação obtida pelo Grupo Faucherand na Sociedade Espírita de Paris, através do médium Sr. E. Vézy, assinada justamente pelo Espírito que tanto influenciou mentes e corações através de sua forma de pensar. A mudança de Dimensão existencial, contudo, abriu suas ideias em direções mais amplas como demonstrado em seu texto. Escreveu ele: -“Sou eu mesmo, mas não aquele Espírito trocista e cáustico de outrora; o reizinho do século 18, que dominava pelo pensamento e pelo gênio a tantos soberanos, hoje não mais tem nos lábios aquele sorriso mordaz, que fazia tremer os inimigos e os próprios amigos!. Meu cinismo desapareceu diante da revelação das grandes coisas que eu queria tocar e que só as conheci no Além-túmulo. Pobres cérebros demasiado estreitos para conterem tantas maravilhas!. Humanos, calai-vos, humilhai-vos ante o poder supremo; admirai e contemplai – é o que podeis fazer. Como quereis aprofundar Deus e o seu próprio trabalho? Apesar de todos os seus recursos, a vossa razão não se quebra diante do átomo e do grão de areia, que não pode definir? Eu empreguei a minha vida a procurar conhecer a Deus e seu princípio; minha razão se enfraqueceu e eu cheguei não a negar Deus, mas a sua glória, o seu poder e a sua grandeza. Eu o explicava desenvolvendo-se no tempo. Uma intuição celeste me dizia que rejeitasse tal erro, mas eu não escutava e me fiz apóstolo de uma doutrina mentirosa...Sabeis por que? Porque, no tumulto e na confusão de meus pensamentos, num entrechoque incessante, eu só via uma coisa: meu nome gravado no frontão de um templo de memória das Nações! Só via a glória que me prometia essa juventude universal que me cercava e parecia saborear com suave delícia o suco da doutrina que eu lhe ensinava. Entretanto, empurrado não sei por que remorso de minha consciência, quis parar, mas era tarde. Como toda utopia, todo sistema que abraçamos nos arrasta; a princípio segue a torrente, depois nos arrasta e nos quebra, tão rápida e violenta é por vezes a sua queda. Crêde-me, vós que aqui estais à procura da verdade, encontra-la-eis quando tiverdes destacado de vosso coração o amor às lantejoulas, que um tolo amor-próprio e um falso orgulho fazem brilhar aos vossos olhos. Na nova via por onde marchais, não temais combater o erro e o desafiar, quando se erguer à vossa frente. Não é uma monstruosidade preconizarmos uma mentira, contra a qual ninguém ousa defender-se, pelo fato de saber-se que fizemos discípulos que ultrapassaram as nossas crenças? Vêde, meus amigos. O Voltaire de hoje não é mais aquele do século 18. Eu sou mais cristão, porque venho fazer-nos esquecer a minha glória e vos lembrar o que fui na juventude e o que amava em minha infância. Oh! Como eu gostava de me perder no mundo dos pensamentos! Minha imaginação ardente e viva percorria os vales da Ásia à busca daquele que chamais Redentor.. Eu gostava de percorrer os caminhos que ele tinha percorrido. E como me parecia grande e sublime esse Cristo em meio à multidão!.. Julgava ouvir a sua voz poderosa, instruindo os povos da Galiléia, das bordas do Tiberíades e da Judéia!.. Mais tarde, nas minhas noites de insônia, quantas vezes me ergui para abrir uma velha Bíblia e reler suas páginas santas! Então minha fronte se inclinava diante da cruz, esse sinal eterno da redenção, que une a Terra ao Céu, a criatura ao Criador!... Quantas vezes admirei esse poder de Deus, por assim dizer se subdividindo, e cuja centelha se encarna para fazer-se tão pequena, vindo render a alma no Calvário em expiação!.. Vítima augusta cuja divindade eu negava, e que, entretanto, me fez dizer: -Teu Deus que tu traíste, teu Deus que tu brasfemas, Para ti, para o Universo, morreu nestes lugares!. Sofro, mas espio a resistência que opus a Deus. Tinha a missão de instruir e esclarecer. A princípio o fiz, mas o meu facho se extinguiu nas minhas mãos, na hora marcada para a luz!...Felizes filhos do século 19 e do século 20, a vós é que é dado ver luzir o facho da Verdade. Fazei que vossos olhos vejam bem a sua luz, porque para vós ela terá radiações celestes e sua claridade será Divina!”.





















MENTE; SOBREVIVERAM; KARDEC - HOJE E SEMPRE 432; EVOLUÇÃO E LEI DE CAUSA E EFEITO:ENTENDA E CHICO VIVE


















domingo, 17 de novembro de 2019

FLUIDOS; KARDEC - HOJE E SEMPRE 430; EVOLUÇÃO E LEI DE CAUSA E EFEITO: ENTENDA


Conhecidos desde a Antiguidade, com a coragem do médico Franz Anton Mesmer e os avanços propostos por Allan Kardec, os fluidos conseguem explicar uma série de fenômenos desdenhados pela dita Ciência Acadêmica. Na sequencia, alguns esclarecimentos sobre sua existência e importância. Sendo os fluidos personalizados conforme a individualidade, o que determina suas características? As qualidades do fluido perispiritual estão na razão direta das qualidades morais do Espírito encarnado ou desencarnado; quanto mais elevados forem os sentimentos e desprendidos das influências da matéria, mais depurado será seu fluido.  Conforme os pensamentos que o dominam, o encarnado irradia fluidos impregnados desses mesmos pensamentos, que o viciam ou saneiam, fluidos realmente materiais que apesar de impalpáveis, invisíveis aos olhos do corpo, são perceptíveis pelos sentidos perispirituais e visíveis pelos olhos da alma, pois impressionam fisicamente, produzindo efeitos muito diferentes para, por exemplo,  os que são dotados da vidência. (RE;1867)  Conforme o Espiritismo,  Fluido Perispiritual produz diversos efeitos? O Fluido Perispiritual seria, por exemplo, uma das causas das simpatias e antipatias entre pessoas que se veem pela primeira vez. Isso por que o períspirito irradia ao redor do corpo uma espécie de atmosfera impregnada das qualidades boas ou más do Espírito encarnado. Duas pessoas que se encontram experimentam, pelo contato dos fluidos, a impressão da sensitiva; impressão agradável ou não, pelo fato dos fluidos tenderem a confundir-se ou repelir-se, segundo sua natureza semelhante ou dessemelhante. (OQE, 125) Esse sentimento é efeito de uma lei física: a lei da assimilação e da repulsão de fluidos. O pensamento maldoso, por exemplo, emite uma corrente fluídica que provoca uma sensação desagradável. Já o bondoso envolve com uma sensação agradável. Daí, a diferença de sensações que sentimos com a aproximação de um amigo ou de um inimigo. (ESE 12:3) Como se dá a ação desse fluido? Quem quer que alimente pensamentos de ódio, inveja, ciúme, orgulho, egoísmo, animosidade, falsidade, hipocrisia, malevolência, numa palavra, pensamentos colhidos na fonte das más paixões, espalha em torno de si eflúvios fluídicos perturbadores, que reagem sobre os que o cercam.  Se se considerar que pensamentos atraem pensamentos da mesma natureza, que os fluidos atraem fluidos similares, compreende-se que cada indivíduo traga consigo também um cortejo de Espíritos simpáticos, bons ou maus, e que, assim, o ar seja saturado de fluidos compatíveis com os pensamentos que predominam.  Pensamentos maus em minoria, não impedem que as boas influências se produzam, pois estas os neutralizam.  Se dominarem, enfraquecerão a radiação fluídica dos bons Espíritos ou mesmo, por vezes impedirão que os bons fluidos penetrem nesse meio, como o nevoeiro enfraquece ou detém os raios do Sol. (RE; 1867) Qual o meio de se subtrair à influência negativa dos maus fluidos? Esse meio se destaca da própria causa que produz o mal. Que se faz quando se reconhece que um alimento é nocivo à saúde? Rejeita-se, substituindo-o por alimento mais são.  Desde que são os maus pensamentos que enquadram os maus fluidos e os atraem, há que se esforçar para só os ter bons, repelir tudo que é mau, como se repele um alimento que nos torna doentes.  Numa palavra, trabalhar pelo próprio melhoramento moral e, para nos servirmos de uma comparação do Evangelho, ‘não só limpar o vaso por fora, mas, sobretudo, limpá-lo por dentro’. (RE; 1867) Como isso seria possível? Pelas características desse fluido. Ele se nos escapa continuamente formando em torno do nosso corpo uma atmosfera que somente age sobre os indivíduos que nos cercam se impulsionado pela nossa vontade.  O fluido penetra todos os corpos animados ou inanimados; se propaga a grandes distâncias, dependendo das condições e força do emissor, bem como da maior ou menor sensibilidade magnética do receptor; está sujeito às leis de atração, repulsão e afinidade variando de indivíduo para indivíduo; do ponto de vista moral, está impregnado dos sentimentos de ódio, inveja, ciúme, orgulho, egoísmo, agressividade, hipocrisia, bondade, benevolência, amor, caridade, doçura; etc; sob o aspecto físico, são excitantes, calmantes, penetrantes, adstringentes, irritantes, dulcificantes, suporíferos, tóxicos, reparadores, expulsivos; tornam-se força de transmissão, propulsão, etc; o quadro de fluidos seria, pois, o de todas as paixões, virtudes e vícios da Humanidade e das propriedades da matéria, correspondentes aos efeitos que produzem. Os fluidos não possuem qualidades sui-generis mas as que adquirem no meio onde se elaboram; modificam-se pelos eflúvios desse meio, como o ar pelas exalações, as águas pelos sais das camadas que atravessa. (G)