faça sua pesquisa

quinta-feira, 23 de maio de 2019

SUGESTÃO IMPORTANTE E VÁLIDA E KARDEC - HOJE E SEMPRE 269



A lógica utilizada por Allan Kardec para a elaboração das obras básicas do Espiritismo ressalta de sua afirmação na matéria que abre o número de dezembro de 1864 da REVISTA ESPÍRITA quando diz que “o pensamento é o atributo característico do Ser espiritual; é ele que distingue o Espírito da matéria; sem o pensamento o Espírito não seria Espírito”. Descartes, filósofo e matemático do século 17, estava certo em sua afirmação “penso, logo existo”. Na própria contribuição de Kardec, encontramos um conteúdo extraordinário a ser refletidos até por ser  aplicável na conturbada realidade em que vivemos neste momento da História da Humanidade.  Reunimos alguns, “garimpados” no substancial acervo representado pela publicação fundada e dirigida pelo grande pesquisador oculto no pseudônimo que lhe identifica esse manancial.1- Somos a individualização do Fluido Cósmico Universal (..). Cada um de nós tem, pois, fluido característico, que nos envolve e acompanha em todos os movimentos, sendo muito variável, a extensão de nossas atmosferas individuais. 2- As diferentes atmosferas individuais se entrecruzam e misturam sem jamais se confundirem, exatamente como as ondas sonoras que se conservam distintas apesar da imensidade de sons que simultaneamente abalam o ar. 3 - O períspirito é impregnado do pensamento do Espírito, irradiando tais qualidades em torno do corpo, formando uma espécie de vapor (aura) que dele se desprende. 4- Cada um de nós carrega consigo uma atmosfera fluídica, como o caracol a sua concha, fluido que deixa vestígios à sua passagem. 5- Os mais secretos “pensamentos/sentimentos” repercutem no envoltório fluídico. 6- Pensamento é uma emissão que ocasiona perda real de fluidos espiritual. Por consequência, fluidos materiais. Desse modo, o homem precisa retemperar-se com os eflúvios que recebe do exterior 7- O homem sente instintivamente tal perda. Procura reuniões homogeneizadas e simpáticas. Nelas recupera as perdas fluídicas que sofre constantemente pela irradiação do pensamento, como recupera pelos alimentos perdas do corpo material.  8- Sendo o períspirito dos encarnados de natureza idêntica à dos fluidos espirituais, ele os assimila com facilidade, como uma esponja se embebeda de um líquido. 9 – O fluido vital se transmite de um indivíduo para outro.10- Os órgãos do corpo estão, por assim dizer, impregnados de fluido vital, o qual dá a todas as partes do organismo uma atividade que as une em certas lesões e restabelece as funções momentaneamente suspensas. 11- A vontade dilata esse fluido como o calor dilata os gases.12- A quantidade de fluido vital se esgota. 13- Os meios onde superabundam os maus Espíritos, são impregnados de maus fluidos que oe encarnado absorve pelos poros perispiriticos, como absorve pelos poros do corpo doenças contagiosas graves. 14- Pensamentos colhidos na fonte das más paixões,- ódios, inveja, ciúme, orgulho, egoísmo, animosidade, cupidez, falsidade, hipocrisia, malevolência, etc -, espalham em tono de si eflúvios fluídicos malsãos que reagem sobre os que o cercam. Pela amostra, vemos que não apenas Kardec cercou o tema fluidos/pensamento/ equilíbrio de uma série de observações capazes de nos levar a pensar de forma objetiva sobre a questão. Sobre a reposição dessa energia desperdiçada pela nossa falta de maiores informações, lembramos de apontamento de Aniceto a André Luiz na obra ENTRE A TERRA E O CÉU (FCX, feb), onde diz: -“O Oceano é miraculoso reservatório de forças (...). Qual acontece na montanha arborizada, a atmosfera marinha permanece impregnada por infinitos recursos de vitalidade. O oxigênio sem mácula, casado às emanações do planeta, converte-se em precioso alimento de nossa organização espiritual, principalmente quando ainda nos achamos direta ou indiretamente associados aos fluidos da matéria densa”.  E o médium Chico Xavier, em comentário com amigos, revelou: -“A cada seis meses saio para descansar um pouco, cerca de um dia e meio ou dois. Eu consigo este descanso de uma forma muito interessante. É quando tenho a oportunidade de abraçar as árvores.(...). Elas me auxiliam bastante no refazimento das forças de que tanto preciso para o trabalho”.