faça sua pesquisa

terça-feira, 22 de janeiro de 2019

DUVIDA, EFEITOS DA PRECE E KARDEC - HOJE E SEMPRE 149


O professor José Benevides Cavalcante (FUNDAMENTOS DA DOUTRINA ESPÍRITA, eme) esclarece mais duas dúvidas de leitores. DOMÍNIO DO MAL No livro "LIBERTAÇÃO" de André Luiz, p. 104, há a seguinte frase: "Subordinam-se-nos todos os homens e mulheres afastados da evolução regular, e é forçoso reconhecer que semelhantes individualidades se contam por milhões". Eu pergunto: " Qual a explicação do Espiritismo sobre essa frase?" Nesse livro, "LIBERTAÇÃO", André Luiz, através da mediunidade de Francisco Cândido Xavier mostra como determinados Espíritos perversos atuam no mundo espiritual, formando poderosas organizações que exercem domínio sobre encarnados e desencarnados. O personagem central desse relato é Gregório - um Espírito revoltado e violento, que se compraz em dominar para satisfazer seu ímpeto doentio de maldade. O trecho, que você cita, faz parte de um discurso do próprio Gregório, justificando suas atitudes e fazendo apologia de sua própria força e atuação, em prejuízo daqueles que pretendem seguir o bom caminho. Gregório se refere, nesse trecho, às milhões de pessoas encarnadas na Terra que compartilham desse mesmo pensamento. É com elas que ele procura se relacionar, porque nelas encontra boa acolhida. Há pessoas em que o sentimento do bem, os ideais da fraternidade, da tolerância e da liberdade, ainda não encontram receptividade. Elas são incapazes de entender uma boa ação, de compreender um gesto nobre ou de apoiar uma atitude elevada. São como o Gregório - frustrados, contrariados em suas ambições egoísticas; travam luta contra o bem, exercendo seu poder com intolerância e despotismo, como fazem determinados lideres políticos que transformam seus governos em rios de lágrimas e sangue. André Luiz pretende, com essa narrativa, mostrar que, apesar de termos caminhado muito, ao longo dos séculos de civilização sobre a Terra, na busca de uma condição moral melhor para a humanidade, ainda enfrentamos os resquícios do passado cruel e violento em todos os meios. Um exemplo disso é o que vemos acontecer, tanto no seio das comunidades - onde os crimes hediondos ainda acontecem com freqüência - como também no âmbito das relações internacionais, com a imposição do poder econômico sobre as nações pobres e do terrorismo devastador, fazendo vítimas com a fome, com os atentados e com a guerra) EFEITOS DA PRECE "No caso de um ente querido que desencarnou há 20 anos e que, hoje, já estaria encarnado de novo, como ficam as orações e as missas que fazemos para ele?" A prece, quando proferida com sinceridade, não é mais que a manifestação de nosso mais puro sentimento em relação à pessoa ou Espírito que queremos beneficiar. Quando oramos nesse sentido, segundo André Luiz, o que sai de nós são formas-pensamento, ondas de energia psíquicas impregnadas de muito amor, de muito carinho e de um sentido elevado de proteção, que vão favorecer aquele a quem amamos. Você pode perguntar: E como se dá esse favorecimento? Deus é o nosso referencial maior, é o ponto mais alto da nossa noção de Amor e Bondade, é o ponto máximo de nosso sentimento, de onde partem as energias mais preciosas que podemos produzir pela mente. Assim, quando pedimos a Deus em favor de alguém, imediatamente nos ligamos a essa pessoa, onde ela estiver, e emitimos vibrações superiores que abrem espaço para que ela possa ser favorecida. O nosso próprio pensamento a favorece, mas, com certeza, os Amigos da Espiritualidade intervêm para ajudá-la. É claro que essa ajuda não depende só de nossa vontade, mas das condições de receptividade que forem encontradas. Por isso uns recebem mais que outros. No caso de um Espírito, que já reencarnou, ainda que o tenhamos por desencarnado, ele receberá da mesma forma a nossa oração, porque a prece dirigida em favor de alguém tem um destino definido e especial. Não importa onde o Espírito esteja e em que condições ele esteja. É o nosso sentimento que se liga a ele e o sentimento em relação a alguém especial é um elo personalíssimo, que funciona no sentido de beneficiar essa determinada pessoa. O mecanismo de transmissão do pensamento não é muito simples de entender, porque não vemos o pensamento e não sabemos como ele se comporta dentro das leis da natureza. Mas o pensamento é alguma coisa de real, de verdadeiro, que se transmite e, freqüentemente, nos atinge por via inconsciente, isto é, sem que o percebamos. Portanto, é fácil concluir que muitos dos Espíritos, para quem oramos atualmente - principalmente, familiares e parentes - possam estar reencarnados. Mas isso não impede que eles sejam beneficiados com as nossas preces, mesmo porque na natureza nada se perde, tudo se aproveita, especialmente o pensamento. Daí a importância da oração e daí também porque Jesus deu tanta importância à qualidade de nosso sentimento quando oramos.